Dia do Produtor comemora novas perspectivas para o cacau sulbaiano

 No Território Litoral Sul, é cada vez mais crescente a quantidade de produtores de cacau, chocolate e derivados de cacau que estão investindo na produção de qualidade. Com o apoio do Sebrae, através do projeto Cacau e Derivados da Mata Atlântica, os produtores têm acesso as soluções nas áreas de Mercado, inovação e tecnologia, associativismo, gestão, além de poderem participar de capacitações.

Dentre as estratégias trabalhadas com o apoio do Sebrae e instituições regionais, destaca-se a conquista recente do registro deIndicação Geográfica (IG) na espécie de Indicação de Procedência (IP) da amêndoa de cacau - Theobroma cacao L. A boa notícia ampliou os horizontes dos produtores, pois veem no selo a oportunidade de ampliar o mercado consumidor a partir da legitimidade conferida pelo selo, no mercado nacional e internacional.

Na Fazenda Santa Rita, município de Ilhéus, o proprietário Lucas Moreira Arléo representa a terceira geração da sua família que coordena uma área de 160 hectares de plantação de cacau com uma colheita média de 1.600 arroubas por ano. O sistema produtivo é voltado ao cultivo do Sistema Cabruca, à sombra de árvores nativas, e o produtor tem investido em amêndoas de qualidade, que já vem abastecendo o setor industrial em São Paulo.

Agora, com o selo de Indicação Geográfica, Lucas aguarda com expectativa agregar, ainda mais, valor ao cacau já produzido na sua fazenda. “Isso vai impulsionar e valorizar o produto. Vai dar segurança para quem compra e vai levar a história da região para o Brasil e o mundo”, declarou.