Lideranças trabalham pela manutenção dos voos da Azul

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Sousa, e o governador Rui Costa, voltam a dialogar hoje (6), em Salvador, sobre a importância da manutenção dos voos da Companhia Azul que fazem a rota Ilhéus - Salvador e que estão previstos para ser suspensos a partir do próximo dia 19, por opção da companhia. De acordo com a Azul, a extinção dos horários é devido a um ajuste de malha e os voos atingidos pela medida são os que saem de Ilhéus, no sul da Bahia, de segunda a sexta, às 13h40, e os que saem aos sábados e domingos, às 10h05.

“A manutenção destes voos é importante para a região e o governador tem atuado fortemente ao lado do secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, e dos deputados Ângela Sousa (estadual), Paulo Magalhães e Bebeto Galvão (federal) no sentido de garantir a sua permanência na malha”, disse o prefeito.

Hoje, além de mais um encontro com o governador para debater a situação, Mário Alexandre também garantiu que o deputado federal Bebeto Galvão vai estar reunido, em Brasília, com a direção da companhia. “Estamos todos somando esforços para preservar esta conquista da população de Ilhéus e de toda a região”, afirmou. Também participará deste encontro, o secretário estadual de Turismo, José Alves. “O estado está aberto à negociação positiva, com a disposição de novos investimentos em marketing e negociação de impostos, a depender da contrapartida da empresa. A proposta é de ampliar a oferta ao invés de cancelar”, assegura o secretário

Transferência - Mário lembra que o governador Rui Costa já assinou o contrato de delegação do Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus, para o Governo da Bahia. Boa parte dos turistas que visitam a Bahia chega por Ilhéus, onde fica um dos mais antigos aeroportos do estado e o terceiro maior em número de passageiros. Em 2016, o Jorge Amado recebeu mais de 550 mil pessoas. Até abril de 2017, 190 mil viajantes passaram pelo equipamento.

Com a responsabilidade nas mãos do Estado, a programação é lançar licitação para que empresas de aviação civil disputem a gestão. De acordo com o secretário Marcus Cavalcanti, quem ganhar a licitação, além de ampliar o terminal de passageiros, realizar obra de recuperação da pista e a obra de tráfego aéreo, terá como obrigação fazer o estudo de localização, o projeto e o licenciamento ambiental para o novo aeroporto de Ilhéus. "Nós estamos dando o primeiro passo e estamos tendo condição de fazer um investimento pelo setor privado na melhoria de condição daquele aeroporto para atrair mais voos", enfatizou Cavalcanti.