Júri Simulado reúne estudantes de Direito no Fórum de Ilhéus

Estudantes do oitavo semestre do curso de Direito da Faculdade de Ilhéus participam, na próxima terça-feira, dia 7, de um júri simulado no Fórum Epaminondas Berbert de Castro, localizado no bairro Boa Vista, na cidade de Ilhéus. O evento terá início às 8 horas, com apoio da Vara do Júri, de Execuções Penais e Medidas Alternativas, que tem como titular o juiz Gustavo Henrique Almeida Lyra.

O júri simulado foi precedido de uma visita feita pelos alunos de Direito ao Fórum de Justiça de Ilhéus, no último dia 4 de setembro, quando estiveram acompanhados pelos professores Cinthya Santos e Jackson Novais, e foram recebidos pelo magistrado Gustavo Lyra. Na oportunidade, o juiz fez uma explanação geral sobre Processo Penal, dando orientações em relação à formação do inquérito até o julgamento final.

Por outro lado, o coordenador do Núcleo de Práticas Jurídicas (Nupraj) da Faculdade de Ilhéus, professor Joilson Vasconcelos, explicou que os alunos dessa turma já fizeram, na sede da Faculdade, simulação da primeira fase do procedimento do júri, a qual redundou na decisão de pronuncia, que remeteu os réus para o julgamento no plenário do júri, que acontecerá no Fórum.

Na atividade desta terça-feira, os próprios estudantes vão atuar como Juiz, Promotor Público, escrivão do Júri, réu, testemunhas, advogados de defesa e advogados de acusação. A segurança também será feita por alunos. Já o corpo de Jurados será formado por estudantes dos primeiro e segundo semestres.

O curso de Direito da Faculdade de Ilhéus é coordenado pela professora Ana Cristina Adry de Argôllo, que ressalta a importância de saber sobre o Júri. Na sua opinião “a soberania do júri sempre foi motivo de elogios e de críticas, considerando tratar-se de órgão jurisdicional único, regido pela liberdade total dos jurados, que decidem pelo princípio da convicção íntima, ou seja, sem ter que dar qualquer fundamento lógico racional das suas deliberações, como acontece com os juízes togados, que são regidos pelo Princípio da persuasão racional ou livre convicção.  Assim, saber o Júri é condição essencial para adquirir habilidades necessárias para tecer críticas responsáveis, e esse é o papel primordial da academia, no nosso sentir”, explica a professora.